Skip Navigation Links



A FUNDAÇÃO DO

GRANDE ORIENTE INDEPENDENTE DO RIO DE JANEIRO - GOIRJ:

 

No ano de 1973 o Irmão Mestre Maçom Athos Vieira de Andrade foi candidato a Grão Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil (GOB), para o quinquênio 1973/1978, Potência Maçônica da qual o Irmão era membro, e também a Primeira Potência Maçônica do Brasil , cujas origens remontam a 1822, e que já teve entre os seus Grãos Mestres figuras ilustres como o Imperador Dom Pedro I.

O na época Grão Mestre Geral do GOB disputava a reeleição e tinha no Irmão Athos seu principal opositor.   



Athos Vieira de Andrade era advogado e entrou para a política aos 29 anos. Cumpriu três mandatos como deputado estadual (1958-1970) e um como deputado federal (1971-1974). Nos anos seguintes, foi diretor da representação do governo de Minas Gerais em Brasília (1975-1983). 

Paralelamente, exerceu várias atividades na Igreja Presbiteriana do Brasil da qual seria membro por 67 anos: regente de coral, diácono, presbítero, presidente de presbitérios e sínodos. 

Foi também reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie e juiz do Tribunal de Recursos do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil. Teve cinco filhos, nove netos e uma bisneta. 

Faleceu  em 2010, aos 81 anos de idade, em decorrência de problemas cardíacos. 




Esta eleição de 1973 foi então uma eleição tumultuada , onde das 703 lojas do Grande Oriente do Brasil que votaram 515 tiveram seus votos anulados.

Apenas 26% das lojas tiveram seus votos validados.

Cerca de 11.000 maçons votaram (de 703 Lojas).

8.000 votos foram anulados (de 465 Lojas).

Apurados somente cerca de 3.000 votos (de 188 Lojas), ou seja: menos de 30% foram aproveitados.

50 Atas com votações de Lojas desapareceram, não foram computadas nem anuladas.

Resultado que o atual Grão Mestre do GOB se reelegeu, mas  a um custo alto. Como era uma eleição a nível nacional, o resultado foi uma insatisfação em todos os estados do Brasil. Os mais de 8.000 maçons que tiveram seus votos anulados começaram a falar em Lojas do GOB que tiveram suas dívidas financeiras perdoadas em troca de votos para reeleição do Grão Mestre, entre várias outras supostas irregularidades. 
 
Outros problemas já tinham anteriormente acontecidos no GOB:

Desde sua fundação, já nos anos de 1822 havia uma disputa entre um grupo liderado por José Bonifácio de Andrada e Silva (depois conhecido como o Patriarca da Independência)  e outro por Joaquim Gonçalves Ledo (Político e Jornalista) o que leva Dom Pedro I a fechar o Grande Oriente (na época chamado de Brasiliano) em 1823. Surge então uma dissidência, o Grande Oriente do Passeio, que somente décadas depois seria reintegrado ao GOB. 
 
Em 1927 Mario Marinho de Carvalho Behring, mais conhecido como
Mario Bering, ex-Grão Mestre Geral do GOB rompe com o GOB, ao separar os graus filosóficos do Rito Escocês Antigo e Aceito dos simbólicos, implantando no Brasil o sistema de Grandes Lojas, que dá origem a todas as Grandes Lojas Estaduais que existem hoje em dia, por décadas consideradas como expúrias ou irregulares pelo GOB, mas que ao contrário do que aconteceu 100 anos antes com a criação do Grande Oriente do Passeio, estas nunca mais se reeintegrariam ao GOB e cresceram e se mantém até hoje de maneira próspera e independente por todos os estados do Brasil.

Este terceiro grande problema do GOB também não teria mais volta: O Irmão Athos, em conjunto com seus milhares de eleitores tentou todos os recursos administrativos internos que a Constituição do GOB permitia, pra que os votos fossem recontados, e se aproveitasem os mais de 70% de votos que foram invalidaos, mas todos os recursos tiveram seus pedidodos negados.

Além disso muitos Irmãos foram expulsos, e muitas lojas desfiliadas, por estarem duvidando do resultado das eleições, o que gerou mais insatisfação ainda. 

Com este cisma de 1973 causado pela não eleição de Athos Vieira de Andrade surgem os Grandes Orientes Independentes, que se uniram de maneira de uma Confederação , preservando a autonomia de cada um deles (ao contrário do GOB, que por ser uma Federação tem o seu Poder Executico concentrado nas mãos de um Grão Mestre Geral), de modo que o poder não ficasse nas mãos de apenas uma pessoa e os erros do passado se repetissem.


Grandes Orientes como o Grande Oriente de Minas Gerais (fundado em 1944) e o Grande Oriente do Rio Grande do Sul (fundado em 1893, com mais de 100 anos de existência) sairam por inteiro do Grande Oriente do Brasil.

Surge então em 1973 o Colégio de Grãos Mestres da Maçonaria Brasileira , no qual os Grandes Orientes Independentes se filiaram, dando este origem mais tarde a COMAB.   

Criado o Colégio de Grãos Mestres da Maçonaria Brasileira, em 27 de maio de 1973, sob a Presidência do Irmão Athos Vieira de Andrade, a Maçonaria brasileira tomou novos rumos e começou a se organizar como Potência Independente e autônoma em todo território nacional. Nos vários Estados da Federação o Colégio de Grãos Mestres, por suas Potências filiadas, passou a regularizar e a fundar novas Lojas com o fim de que em triângulo maçônico dessem início regular às novas Potências filiadas ao também novo Colégio de Grãos Mestres. Por conta disso, em 12 de Setembro de 1973, foi fundada a primeira Loja Maçônica independente no Rio de Janeiro sob os auspícios do Grande Oriente Independente de Minas Gerais, com a finalidade de dar-lhe regularidade de origem, do qual o Irmão Athos Vieira de Andrade também era seu Grão Mestre. 

Assim, surge a Loja “LIBERTADORES” que é instalada e regularizada em 08 de Dezembro do mesmo ano. Seqüencialmente, ainda sob os auspícios do Grande Oriente Independente de Minas Gerais, mais duas Lojas independentes são criadas na jurisdição do Rio de Janeiro sob o título distintivo de “LUZ DA RAZÃO” e “INDEPENDÊNCIA OU MORTE”, dando assim condições para que o Grande Oriente Independente do Rio de Janeiro fosse fundado em 24 de maio de 1974. 
 
O Grande Oriente Independente do Rio de Janeiro foi instalado inicialmente na Rua Sacadura Cabral, no Centro do Rio de Janeiro, onde se manteve de sua fundação até a gestão do Grão Mestre Pastor Isaias de Souza Maciel, ocasião que foi transferido para sua confortável sede atual na Rua Teotônio de Brito, 360 Olaria / Rio de Janeiro / RJ, onde reúne o Gabinete do Grão Mestre e do Grão Mestre Adjunto e amplas instalações para o exercício das atividades litúrgico-ritualisticas. 

O primeiro Grão Mestre do Grande Oriente Independente do Rio de Janeiro foi o Irmão Paulo Rodarte de Faria Machado (a dir.), cuja posse solene ocorreu no dia 16 de junho de 1974, no Auditório do Palácio da Cultura do Governo do Estado do Rio de Janeiro, onde compareceram aquele ato público varias autoridades civis e militares além de mais de quinhentos convidados. 







 
 

 
Texto adaptado do Site do GOIRJ

e do Livro "Uma Luz na História" de Octacílio Schuler Sobrinho.






 

 


   
Copyright © 2017 Maçonaria Virtual